Trajetória Profissional do Dr. Marcelo Gonçalves

O porquê da escolha pela medicina

“Na vida, tudo que a gente faz, tem um motivo. Então, o meu porquê da escolha pela medicina pode ser explicado em função do meu prazer de tratar as pessoas, passando fé, esperança, mensagem de carinho, impactando, da melhor forma possível, na promoção da saúde e bem-estar dos pacientes. Ora, eu sempre senti prazer em cuidar das pessoas e, ao escolher o curso na faculdade, não tive dúvidas que seria em medicina.”

Da opção pelas especialidades “Na medicina, a minha escolha pela especialidade médica em cirurgia surgiu em função da possibilidade de atuar diretamente na promoção da saúde e tratamento de doenças, principalmente em relação ao fígado e pâncreas. As cirurgias de fígado e pâncreas são consideradas de grande porte, desafiadoras e que exigem muito estudo e habilidade cirúrgica. De fato, desde que ingressei na faculdade de medicina fiquei atraído pelo ambiente cirúrgico e descobri que esse era meu propósito profissional – cuidar bem dos pacientes que sofrem com patologias de fígado e pâncreas é uma das minhas paixões e representa um fator motivacional para querer aprender mais e aprimorar as técnicas cirúrgicas em prol da qualidade do pós-operatório. Mas, com o passar do tempo atuando nessas duas cirurgias, eu senti a necessidade de tratar as pessoas com obesidade mórbida, em virtude da implicação que essa doença exerce sobre elas, limitando-as e comprometendo- as em sua qualidade de vida. Para além da perda de peso, a cirurgia bariátrica e do aparelho digestivo são elementos importantes no tratamento de várias comorbidades, tais como: hipertensão, diabetes e apnéia do sono. A obesidade mórbida é um problema de saúde pública e, no cenário atual, pode ser definida como sendo uma epidemia mundial. Portanto, as minhas escolhas pelas especialidades médicas em cirurgia de fígado, pâncreas e do aparelho digestivo estão entrelaçadas pela vontade de cuidar das pessoas, resgatando a autonomia e proporcionando qualidade de vida. Essa transição de especialidades, esse navegar entre áreas cirúrgicas não é fácil e, por isso, senti a necessidade de dar continuidade aos estudos acadêmicos e às pesquisas científicas. Para tanto, após a conclusão do curso de medicina, fiz Mestrado e Doutorado no Programa de Pós-Graduação em Gastroenterologia Cirúrgica da UNIFESP/EPM. Inclusive sou Chefe da Unidade de Cirurgia Geral e do Aparelho Digestivo do HULW/ UFPB, e professor na UFPB e na Faculdade de Medicina Nova Esperança, em João Pessoa- PB, nas disciplinas de Cirurgia do Aparelho Digestivo e Urgência. Estou atuando como Presidente do Capítulo Paraibano do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva e sou Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgia Hepatobiliopancreática e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica. No tocante às cirurgias, sou especialista em Videolaparoscopia e Cirurgia Bariátrica pela AMB.”

Dos aprendizados adquiridos no ano de 2019

“O ano de 2019 foi importantíssimo para minha vida profissional e para minha carreira de médico, pois conquistamos ótimos resultados que impactaram positivamente na vida dos meus pacientes. Eu tive a oportunidade de construir novos saberes e desenvolver técnicas cirúrgicas, participando de congressos internacionais especializados, com destaque para os eventos na Europa e no continente asiático, tal como ocorreu recentemente na China. Nessas vivências com outros médicos-cirurgiões pude aprimorar as técnicas minimamente invasivas e ampliar meus conhecimentos em relação às cirurgias de fígado, pâncreas, bariátricas, metabólicas e do aparelho digestivo. E conseguimos materializar a implantação de um núcleo de cirurgia bariátrica, cujo paciente é o centro do nosso trabalho, desenvolvido por uma equipe multidisciplinar, com médicos de várias especialidades e profissionais atuando em conjunto e em prol do bem-estar e da qualidade de vida dos pacientes bariátricos. Esse ano de 2019, pode ser marcado, também, pela minha inquietação em utilizar a inteligência emocional e o perfil comportamental dos pacientes, como sendo ferramentas estratégicas na atuação médica, por reconhecer a relação intrínseca entre corpo e mente. Em resumo, 2019 foi ano de aprendizado e da busca por novos conhecimentos”.

Da importância da inteligência emocional e do perfil comportamental dos pacientes

“A inteligência emocional e o perfil comportamental dos pacientes são fatores relevantes na escolha do tratamento, da técnica cirúrgica e nos cuidados pré e pós-operatórios. Nessa perspectiva, eu venho me capacitando e aprofundando estudos e pesquisas na área de analista do perfil comportamental, para auxiliar na minha atuação médico-profissional ao tratar meus pacientes, contribuindo na eficácia da interação médico-paciente, objetivando individualizar o tratamento, tornando-o cada vez mais humanizado, fundamentado na análise comportamental e no desenvolvimento humano.”

Das tecnologias da informação e comunicação na saúde

“Os cuidados modernos com a saúde tem despertado o interesse dos profissionais da área em integrarem os pacientes no processo de promoção da saúde e gestão da doença. Do físico ao digital, a interatividade permite o acesso à informação em casa, no trabalho, locais públicos e ambientes médicos. O engajamento do paciente muda a sua posição de expectador para participante ativo, cujos valores, morais, costumes, hábitos, crenças, estilo de vida e padrão comportamental tendem a influenciar na predisposição para certas doenças e na indicação de tratamento clínico. No cenário tecnológico e conectado em rede via internet, o paciente tem possibilidades interacionais de acessar informações em bases digitais confiáveis e compartilhadas por médicos, para compreender seu estado clínico com maior riqueza de detalhes”.

O ano de 2019 foi importantíssimo para minha vida profissional e para minha carreira de médico, pois conquistamos ótimos resultados que impactaram positivamente na vida dos meus pacientes.