Rangel, Marcelo Fernandes ; Silva, Marcos Valério Maia da ; Fernandes, Manoel Jeovah Colaço ; Ferreira, Mário Augusto Souto ; Nóbrega, Leonardo Pires de Sá ; Souza, Marcelo Gonçalves . Tumores malignos do intestino delgado. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões (Impresso), v. 27, p. 385-388, 2

ARTIGO ORIGINAL 

Tumores malignos do intestino delgado

Malignant tumors of the small intestine

 

Marcelo Fernandes Rangel, TCBC-PBI; Marcos Valério Maia da Silva, ACBC-PBII; Manoel Jeovah Colaço Fernandes, TCBC-PBIII; Mário Augusto Souto FerreiraIV; Leonardo Pires de Sá NóbregaV; Marcelo Gonçalves SouzaVI

IProfessor Adjunto – Doutor do Departamento de Cirurgia do C.C.S. da UFPB. Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva. Chefe do Serviço de Cirurgia Abdominal do Hospital de Câncer Napoleão Laureano
IICirurgião do Serviço de Cirurgia Abdominal do Hospital de Câncer Napoleão Laureano e do Hospital Universitário da UFPB
IIIProfessor Adjunto – Mestre do Departamento de Cirurgia do C.C.S. da UFPB. Cirurgião do Hospital de Câncer Napoleão Laureano
IVInterno do Curso de Medicina do CCS da UFPB
VAluno de Graduação do Curso de Medicina do CCS da UFPB. Bolsista do PIBIC/CNPq/UFPB
VIAluno de Graduação do Curso de Medicina do CCS da UFPB. Monitor da Disciplina de Bases da Técnica Cirúrgica

Endereço para correspondência

 

 


RESUMO

Os tumores do intestino delgado são raros e a maioria das lesões neoplásicas sintomáticas é maligna.Os neoplasmas benignos são um pouco mais freqüentes e ambos estão relacionados a um diagnóstico difícil, pois determinam queixas abdominais inespecíficas, comuns a uma grande variedade de afecções digestivas. Exames de imagem e endoscópicos podem ser úteis para o diagnóstico, mas freqüentemente não são conclusivos. Para os blastomas primários, a ressecção cirúrgica é a opção de escolha, porém, para os metastáticos, a terapêutica operatória deve ser reservada para os casos complicados por obstrução, hemorragia ou perfuração. O presente estudo tem por finalidade analisar retrospectivamente 13 casos de lesões malignas do intestino delgado, num período de 28 anos. Verificou-se maior incidência de tumores primários (69,2%) e de linfomas (30,7%). Entre os secundários, as mestástases por adenocarcinoma foram as mais freqüentes (15,4%). Enterectomia segmentar foi o procedimento cirúrgico mais realizado (84,6%) e a mortalidade hospitalar foi de 15,4%. A sobrevida de cinco anos foi nula para os pacientes portadores de metástases, enquanto que para os primários foi de 44,4%, sugerindo um melhor prognóstico para as neoplasias primitivas, independentemente do tipo histológico da neoplasia.

Descritores: Intestino delgado; Neoplasias malignas; Tratamento cirúrgico; Sobrevida.


ABSTRACT

Small bowel tumors are rare, and the majority of symptomatic lesions are malign. Benign tumors are a more frequent. Both benig and maligmant mors are associated with difficult diagnosis, because of atipic abdominal complaints, common to a large variety of digestives affections. Endoscopic and imaging examination may have diagnostic, but frequently are inconclusives. For primary tumors, the surgical resection is the treatment of choice, but for metastatic, tumors surgical resection has to be reserved for the cases complicated by obstruction, bleeding or perforation. This study has aim to analyse retrospectively 13 cases of small bowel maligns tumors in a period of 28 years. A higher incidence of primary tumors (69,2%), and linfomas (30,7%) were observed. Among metastatic tumors, the adenocarcinoma was the most frequent (15,4%). Segmental enterectomy was the most common surgical procedure (84,6%), and hospital mortality was 15,4%. Survival rate within five years was zero for metastatic tumors, while for primary lesions was 44,4%, suggesting a better prognostis for primary lesions, independently from the histologic type of neoplasms.

Key words: Small bowel; Malignant neoplasms; Surgical treatment; Survival.


 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS

1. Olmstedw, W. - Tumores of small intestine with or no malignant predisposition. Review of literature. Gastroint. Radiol. 1987; 12: 131 – 3.         [ Links ]

2. Dorman, J. E.; Floyd, E.; Cohn, I. Jr. - Malignant neoplasms of the small bowel. Am. J. Surg. 1967; 113: 131-4.         [ Links ]

3. Rangel, M.F.; Kunzle, J. E.; Simões, J.B.R. et al: Generalidades sobre câncer do tubo digestivo. In: Petroianu, A.; Pimenta, L. G. (Eds) Clínica e Cirurgia Geriátrica. 1ª Edição, Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 1999, pp. 275 - 283.         [ Links ]

4. Bell, J.L.; Edwards, M.J.; Pollock, R.E. - Tumores do intestino delgado. In: Coelho, J.C.U. (Ed) Aparelho digestivo: Clínica e Cirurgia. 2ª Edição. Medsi, Rio de Janeiro, 1996, pp. 581-89.         [ Links ]

5. Rosenthal, R. A. - Distúrbios do intestino delgado e hérnias da parede abdominal no paciente idoso. Cli. Cir. Am. Norte 1994; 2: 293 - 325.         [ Links ]

6. Jonhson, A.M. ; Harman, L. K. ; Hanks, J.B. - Primary small bowel malignancies. Ann. Surg. 1985; 51: 31-6.         [ Links ]

7. Creutzfeld, W.; Stockmann, F. - Carcinoids and carcinoid syndrome. Am. J. Med. 1987; 32 - 9.         [ Links ]

8. Dudiak, K. M. ; Johnson, C.D. ; Stephens, D.H. - Primary tumors of the small intestine. A.J.R. 1989; 152:995-97.         [ Links ]